Alimentos impróprios para consumo encontrados no Celma Bingen vão para o lixo

Alimentos impróprios para consumo encontrados no Celma Bingen vão para o lixo

Não é a primeira vez que tal fato acontece em tal estabelecimento

Flagrante de irregularidade foi constado nesta quinta-feira (05.04) após denúncia

Supermercado Celma - Loja Bingen (Imagens Google Earth)
Supermercado Celma – Loja Bingen (Imagens Google Earth)

Outro flagrante de desrespeito ao consumidor foi constatado nesta quinta-feira (05.04) em um supermercado do Bingen durante ação conjunta realizada pelo Procon e Vigilância Sanitária. Cerca de 25 quilos de alimentos impróprios para o consumo foram descartados pelas equipes.




São alimentos que, se fossem vendidos, poderiam fazer mal aos clientes do estabelecimento. A ação foi realizada após uma denúncia ao órgão de defesa do consumidor sobre a remarcação de produtos no estabelecimento.

Durante a ação, foram flagrados pacotes de hambúrgueres congelados, pães de queijo, batata frita, bacalhau em posta, coxa de frango e coração de galinha. Os produtos foram, na presença de representantes do supermercado, descartados de acordo com as normas da Vigilância Sanitária. No local, também foi solicitado o reparo em parte do mobiliário de loja – material que está fora dos padrões corretos, além da troca de maquinário. Além disso, o Procon e a Vigilância solicitaram a alteração do piso do açougue das carnes, armazenado de forma inadequada.


“Essa não é a primeira vez que flagramos irregularidades nessa rede de supermercado, de modo que notificamos o estabelecimento para que preste esclarecimento. As fiscalizações vão continuar e, havendo reincidência, no supermercado da mesma rede, ele estará passível de multas. É inadmissível que esse tipo de situação ainda aconteça nos dias de hoje”, explica o coordenador do Procon, Bernardo Sabrá.



O Código de Defesa do Consumidor (CDC), o qual baseia às ações do órgão, considera impróprios produtos com prazos de validade vencidos, deteriorados, alterados, adulterados, avariados, falsificados, corrompidos, fraudados, nocivos à vida ou à saúde, perigosos ou, ainda, aqueles em desacordo com as normas regulamentares de fabricação, distribuição ou apresentação.

“A Defesa do Consumidor e a Vigilância andam intimamente ligadas. Ações como esta visam a prevenção, eliminar e diminuir os riscos que a população está exposta ao consumir algum alimento impróprio para consumo. É uma atividade feita com rigor, pois é de grande importância para à população”, destaca a coordenadora da Vigilância Sanitária, Dayse Carvalho.

Denúncias sobre irregularidades podem ser feita na unidade do Procon que funciona na Rua Dr. Moreira da Fonseca 33, no Centro, ao lado da Câmara dos Vereadores. Os telefones para contato são o 2246-8469 / 8470/ 8471 / 8472 / 8473 / 8474 / 8475 / 8476 e 8477. Há, ainda, a unidade de Itaipava, que fica na Estrada União e Indústria 11.860, no Centro de Cidadania. Os usuários também têm como opção o WhatsApp Denúncia pelo 92257-5837 e o site www.petropolis.rj.gov.br/procon e o serviço de mensagens da página Procon Petrópolis no Facebook.

Supermercado emitiu nota a população

“Salientamos que, que a empresa tem o compromisso com a qualidade dos seus produtos e serviços. Desta forma, garantimos que produtos impróprios não são comercializados em nossas lojas. Para garantir a qualidade, realizamos inspeções diárias e treinamentos constantes de diversos  procedimentos operacionais padrão, apenas os produtos que obedeçam aos critérios estabelecidos são vendidos.  São comercializados toneladas de produtos por mês, dentre os 25 kilos descartados todos estavam na validade.  O estabelecimento vai fazer uma profunda averiguação para elucidar as circunstâncias.”

Anúncios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.