Câmara de vereadores suspende salários e exonera Paulo Igor e Dudu,

Câmara de vereadores suspende salários e exonera Paulo Igor e Dudu,

Decisão aconteceu na noite desta quinta-feira (14)

Paulo Igor Carelli (MDB) e Dudu (PEN) são acusados de envolvimento

em fraude em licitação e peculato.

Vereadores Dudu e Paulo Igor foram afastados dos cargos após operação do MP que investiga crimes de fraude e peculato
Vereadores Dudu e Paulo Igor foram afastados dos cargos após operação do MP que investiga crimes de fraude e peculato

Câmara Municipal de Petrópolis, decidiu na noite desta quinta-feira (14) suspender o pagamento dos salários dos vereadores afastados Paulo Igor (MDB) e Dudu (PEN). Na quarta (13), o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) ajuizou uma ação civil pública pedindo a suspensão dos pagamentos.




Na mesma reunião, ficou decidida também a exoneração de todos os servidores que trabalhavam nos gabinetes desses parlamentares. Eles já estavam afastados das funções desde o final de abril.

A Câmara chegou a suspender os salários dos vereadores, mas por ordem judicial foi obrigada a voltar a fazer os pagamentos.


O legislativo havia consultado o Tribunal de Justiça e a recomendação do órgão foi dar continuidade aos pagamentos alegando que “o afastamento não acarreta, necessariamente, a suspensão dos pagamentos dos subsídios, que devem ser pagos regularmente até possível sentença penal condenatória”.




Segundo a decisão da Câmara nesta quinta, a remuneração de Paulo Igor e Dudu está suspensa até que haja uma decisão judicial favorável aos dois.

CPI rejeitada

No início deste mês, a Câmara de Vereadores rejeitou por 10 votos a três o pedido de abertura de uma Comissão Processante para investigar os vereadores afastados. A maior parte dos parlamentares alegou que o papel de investigação cabe à Justiça.

Entenda o caso

O na época presidente da Câmara de Petrópolis, Paulo Igor Carelli (MDB), foi preso na operação contra crimes de fraude em licitação e peculato no dia 14 de abril. O vereador Luiz Eduardo Francisco da Silva, o Dudu (PEN), também era alvo de mandado de prisão, mas está foragido.

A Operação Caminho do Ouro foi realizada pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) e a Delegacia Fazendária (DELFAZ). Na casa do presidente da Câmara foram apreendidos R$ 155 mil e 10.300 dólares. O dinheiro estava escondido na bomba da banheira de hidromassagem, em uma gaveta da mesa de cabeceira e dentro de um carro.




Os valores estavam separados e com bilhetes com nomes e iniciais. A polícia investiga quem são as pessoas e se elas estariam envolvidas no esquema.

Anúncios

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.