Cenário político de Petrópolis muda completamente com Operação “Caminho do Ouro”

Cenário político de Petrópolis muda completamente com Operação “Caminho do Ouro”

A ação que prendeu preventivamente o ex-presidente da Câmara causando várias mudanças

Cenário político de Petrópolis muda completamente com Operação "Caminho do Ouro"
Cenário político de Petrópolis muda completamente com Operação “Caminho do Ouro”

Segundo informações ainda vem muitas surpresas por aí, aguardem os próximos capítulos (Nota do Editor)

Há dez dias, a política local sofreu um terremoto. Na manhã do último dia 12, Petrópolis acordava com a operação Caminho do Ouro, deflagrada pela Delegacia Fazendária da Polícia Civil e pelo Ministério Público.




Equipes subiram a serra para cumprir mandados de prisão preventiva contra o então presidente da Câmara, Paulo Igor (MDB), e o vereador Luiz Eduardo da Silva, o Dudu – que não se apresentou e é considerado foragido. Os parlamentares são acusados dos crimes de fraude em licitação e peculato. A operação, que também cumpriu outros cinco mandados de busca e apreensão, trouxe várias consequências na política da cidade.


A mais visível destas transformações foi no funcionamento da Câmara Municipal. Na segunda-feira (16), Paulo Igor enviou, por meio de seus advogados, carta de renúncia à presidência do Legislativo – cargo que ocupou por quatro mandatos consecutivos. Na terça-feira (17), os vereadores elegeram Roni Medeiros, do PTB, para o posto. Ele venceu a disputa com oito votos, contra três conquistados por Leandro Azevedo (PSD) e um por Gilda Beatriz (MDB). Roni, que era o vice-presidente na composição inicial, destacou, que este é um momento difícil, que só será superado com muito trabalho.

Temos muito trabalho pela frente. Conto com a colaboração de todos os vereadores para superarmos os desafios da cidade. Não esperávamos passar por isso, com a antecipação das eleições. É um momento triste, mas não podemos esmorecer. Temos que pensar no desenvolvimento da cidade e na eficácia das políticas públicas, sempre com diálogo – declarou o vereador.



Na quarta (18), a Câmara escolheu o primeiro vice-presidente – cargo que ficou vago com a eleição de Medeiros. O escolhido, por unanimidade, foi Márcio Arruda (PR). Arruda afirmou que irá propor à Mesa Diretora algumas ações que incrementem a participação popular, como o oferecimento um espaço para os cidadãos se manifestarem em plenário, a cada quinzena, por um determinado período de tempo.

Houve remanejamento, ainda, nas comissões da Câmara. Roni Medeiros foi substituído da Comissão de Justiça e Redação pelo vereador Justino do Raio-X (MDB); nas Comissões de Desenvolvimento Econômico e de Planejamento e Uso do Solo, o novo integrante é Wanderley Taboada (PTB); e na Comissão de Conservação Ambiental, o atual presidente foi substituído pelo Vereador Jamil Sabrá Neto (PDT).

Reorganização interna

Nos primeiros dias após assumir a presidência, Roni Medeiros tomou medidas para reorganizar o funcionamento administrativo da Câmara. Entre as principais ações, estão a organização da entrada de visitantes no Palácio Amarelo. Agora, as pessoas que acessam o prédio precisam se identificar e apresentar documento. Além disso, passou a ficar proibida a entrada de qualquer pessoa dentro do horário de funcionamento da Câmara. Em casos excepcionais, os servidores devem preencher uma ficha de identificação ou livro de ocorrência, que ficará na portaria, informando nome, CPF, horário de entrada, saída e o motivo da ida ao prédio.

Afastamento: Câmara aguarda definição

Procurada pela produção na tarde desta sexta-feira (20), a Câmara Municipal manteve o posicionamento de aguardar uma definição da Justiça com relação à situação dos vereadores Paulo Igor e Dudu. Apesar dos mandados de prisão preventiva, eles não perderam seus cargos ou mandatos. Assessores dos dois vereadores continuam trabalhando normalmente, até que haja uma definição. Também não houve determinação judicial que exija suspensão de pagamento de vencimentos, com relação aos vereadores e assessores.




Em caso de eventual afastamento das funções públicas, o primeiro suplente da coligação que elegeu Dudu é o secretário de Meio Ambiente, Fred Procópio (PSDB). No caso de uma possível substituição ao mandato de Paulo Igor, a situação é mais complexa. O primeiro suplente do MDB é Justino do Raio-X, que assumiu o cargo de vereador com a ida de Silmar Fortes para a secretaria de Saúde. O nome que compõe a sequência da lista, Renatinho Basílio, não alcançou o número mínimo de votos para atingir a suplência. Neste caso, o cálculo do quociente eleitoral seria refeito.

Dentro desta hipótese, a vaga seria de Jorginho Banerge – que foi candidato em 2016 pelo PSB, mas mudou de partido e está no PTC

Matéria do Diário de Petrópolis
Por: Philippe Fernandes
Editado por: R. Loureiro

Anúncios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.