CPTrans leva educação para o trânsito para dentro das escolas

CPTrans leva educação para o trânsito para dentro das escolas

Inicialmente 1.500 alunos da rede municipal de ensino receberão as palestras sobre os temas

 Objetivo é tornas cidadãos conscientes de seus papeis, agora enquanto pedestres e, futuramente, como motoristas

CPTrans leva educação para o trânsito para dentro das escolas
CPTrans leva educação para o trânsito para dentro das escolas

Formar cidadãos conscientes de seus papeis no trânsito é o objetivo da CPTrans com o projeto Educando Crianças para o Trânsito iniciado esta semana pela Escola Municipal Clemente Fernandes.




Na unidade, 85 crianças receberam orientação sobre diferentes aspectos do que diz respeito ao seu papel como pedestre e também, no futuro, como motorista. Este é o primeiro passo do projeto que, inicialmente, vai conscientizar 1.500 crianças entre 4 e 9 anos de 13 centros de ensino do município, que serão responsáveis por propagar esse conhecimento dentro de suas casas e seus bairros.

O projeto consiste em palestras lúdicas e provocativas onde vídeos são com temas sobre faixa de pedestres, cinto de segurança, entre outros assuntos, são passados para os alunos e, a cada trecho, um questionamento é feito aos estudantes. Neste momento do encontro, há a interação humana, onde a agente de trânsito e hoje chefe de educação para o trânsito da CPTrans, Luciana Venancio, provoca as crianças a refletirem sobre quais são as atitudes corretas na situação apresentado nas imagens. E é exatamente no resultado dessa reflexão, após o debate entre os próprios estudantes e a conclusão com a ajuda da especialista, que o conhecimento é levado para a casa junto à proposta de propagação.

A pequena Catarina Silva, de apenas 9 anos, aluna de 3 ano da Clemente Fernandes, já saiu da escola como um agente multiplicador. “Eu achei muito legal a palestra. Fiquei com essas ideias na minha cabeça e agora vou falar com a minha família quando chegar em casa.  Uma coisa que eu aprendi é sempre dar a mão para um adulto para atravessar a rua, usar a faixa de pedestres e olhar para os dois lados antes de atravessar”, disse Catarina, ao fim da palestra. A orientadora educacional da unidade, Rosana Bello, que há mais de 40 anos trabalha com educação, reforça a necessidade deste tipo de trabalho desde à infância. “É uma formação que deve ser iniciada logo cedo para que, no futuro, sejam adultos conscientes e nossas estatísticas de trânsito sejam reduzidas”, avalia.



E é justamente com vistas na redução das estatísticas de acidentes trânsito que a CPTrans começa agora o trabalho na formação consciente das crianças para que, no futuro, os números sejam menores. Dados do Anuário Estatísticos de Acidentes de Trânsito referentes a 2016 apresentado pela companhia durante a 14ª CMTT, aponta que, naquele ano, das 1.521 vítimas de acidentes, 31 eram crianças. O número é ainda mais expressivo quando se refere às vítimas fatais daquele ano, quando foram registradas duas mortes de crianças com idades entre 0 a 10 anos e, 3 entre 11 e 20 anos, de um total de 18 mortes.

Além da Clemente Fernandes, outras 85 crianças da Escola Municipal Rotary também recebeu a equipe de educação para o trânsito na última quarta-feira (28). A responsável pela educação, Luciana Venâncio explica que busca estimular nas crianças uma cisão crítica permitindo comparar experiências e dar um novo significado aos seus conhecimentos.


 “Nossa intenção é identificar as crianças como agentes transformadores, capazes de contribuir ativa e positivamente para o seu meio. Elaboramos um cronograma passando por diversas escolas e nosso objetivo é atingir o maior número de alunos porque sabemos o como eles são propagadoras das ideias e como o conhecimento adquirido na infância é importante para o resto de suas vidas”, explica Luciana.

Para o diretor-presidente da CPTrans, Maurinho Branco, a educação para o trânsito tem que começar desde à infância. “Muitas das infrações que são cometidas atualmente estão ligadas diretamente a falta de educação. São casos que poderiam ser evitados com o respeito e a consciência de que o trânsito é um espaço de todos”, explica. “As crianças são os maiores agentes multiplicadores que existem e elas serão fundamentais no processo de mudança das estatísticas de trânsito. Esse trabalho, agora, fará diferença também no futuro”, completa a secretária de educação interina, Samea Ázara.




Confira as datas onde as palestras estão agendadas:

 02.04 – Escola Municipal Professora Maria Campos da Silva

03.04 – Escola Municipal Professora Jandira Peixoto Bordignon

05.04 – Escola Municipalizada Santa Terezinha

06.04 – Escola Municipal Luiz Carlos Soares

09.04 – Escola Municipal João Kopke

10.04 – Escola Monsenhor Gentil

12.04 – Escola das Comunidades Santo Antônio

16.04 – Escola Municipal Carlos Canedo

17.04 – Escola Municipal Carmem Nunes Martins

24.04 – Escola Municipal Bataillard

26.04 – Escola Municipal Duque de Caxias

 

Anúncios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.