Furtos em Petrópolis quase dobra em relação ao 1º trimestre de 2017

Furtos em Petrópolis quase dobra em relação ao 1º trimestre de 2017

Informações do  Instituto de Segurança Pública do Rio de Janeiro

 Instituto de Segurança Pública do Rio de Janeiro
Instituto de Segurança Pública do Rio de Janeiro

O (ISP) divulgou, nesta quarta-feira (18), os índices da criminalidade e da atividade policial no Estado, referentes ao mês de março. Nas delegacias de Petrópolis, foram registrados, somente no terceiro mês deste ano, 176 casos de furto. Foram 15 casos a mais do que em fevereiro, quando houve 161 ocorrências. Somente no primeiro trimestre deste ano, foram 516 casos, o que resulta em uma média de cinco furtos por dia.




Fazendo uma comparação, o acumulado de 2018 ainda é superior ao do primeiro trimestre de 2017: foram 47 casos agora, e 39 no ano passado.

Outros crimes também registraram aumento neste ano. Um dado que sempre causa preocupação é o número de estupros registrados nas delegacias. Em março deste ano, foram 11 ocorrências, quatro a mais do que em fevereiro. No primeiro trimestre de 2018, foram 31 casos – índice 34,78% superior ao de 2017, quando ocorreram 23 registros.


Fomos informados que estes índices podem ser maiores, pois muitas vítimas não fazem o registro de ocorrência deste tipo de crime.

O indicador de letalidade violenta (que soma homicídio doloso, homicídio decorrente de intervenção policial, latrocínio e lesão corporal seguida de morte) também teve um expressivo crescimento neste começo do ano: foram 10, sendo cinco deles apenas no mês de março. No primeiro trimestre do ano passado, houve sete casos desta natureza. Houve 30 tentativas de homicídio nos três primeiros meses do ano, contra 16 no mesmo período do ano passado. No entanto, este índice apresentou, em março de 2018, aumento de 53%, na comparação com fevereiro.

O número de registros com relação ao estelionato, por sua vez, caiu em março, na comparação com o mês anterior. Foram 40 ocorrências (em fevereiro, houve 42 casos). No entanto, o número de casos neste ano continua sendo bem superior ao do ano passado. Para se ter uma ideia, em março de 2017 houve 25 registros de estelionato – 15 a menos que neste ano. Na comparação entre os três primeiros meses deste ano e do ano passado, houve um aumento de 122% em 2018: 136 casos, contra 61 em 2017.



No mês passado, não foram registrados casos de extorsão nas delegacias da cidade. O número de roubos ficou estável: foram 24 casos neste mês, seis a mais do que em fevereiro. O índice, entretanto, é praticamente o mesmo do ano passado: em março de 2017, foram 22 registros. No acumulado dos trimestres, o fenômeno se repete: foram 65 casos nos primeiros meses deste ano, e 66 no ano anterior.

Atividade da polícia também acusou um aumento

Se, por um lado, a maioria dos índices de criminalidade cresceu em Petrópolis no primeiro trimestre, o trabalho das forças de segurança da cidade também aumentou. Somente no mês passado, foram 139 autos de prisão em flagrante ou cumprimento de mandados de prisão – 44% a mais do que em março de 2017, quando ocorreram 96 prisões. O resultado do primeiro trimestre aponta para 379 ações desta natureza neste ano, resultado 15% melhor do que no mesmo período do ano passado.

A apreensão de adolescentes por prática de ato infracional também cresceu: foram 17 em março, três a mais do que em fevereiro. No primeiro trimestre, foram 47 apreensões (62% a mais do que no ano passado).

Mais veículos foram recuperados neste ano: foram 30 em janeiro, fevereiro e março. No primeiro trimestre do ano passado, o indicador foi 25% inferior.




O número de operações para apreensão de droga, por sua vez, permaneceu estável: foram 64 casos em março – acima da média, que é de 60 operações por mês.

Anúncios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.