Moradores do Quarteirão Brasileiro, são obrigados a jogar lixo no chão por falta de lixeiras

Moradores do Quarteirão Brasileiro, são obrigados a jogar lixo no chão por falta de lixeiras

Lixo espalhado pelo chão por conta de vandalismo e falta de atenção do governo

Moradores do Quarteirão Brasileiro, são obrigados a jogar lixo no chão por falta de lixeiras
Moradores do Quarteirão Brasileiro, são obrigados a jogar lixo no chão por falta de lixeiras

Há três meses, moradores da Rua Professor João de Deus, no Quarteirão Brasileiro convivem com a falta de lixeiras na comunidade. Havia três caçambas próximas ao número 850 que foram queimadas por vândalos no inicio desse ano. Deste então, não foram instaladas novas estruturas e a população é obrigada a jogar os detritos no chão.




Rafael Ferreira Alves Aleixo, autônomo, explicou que quem não descarta o lixo ali tem que andar cerca de 700 metros até a outra lixeira.

Cheguei de viagem no dia cinco de janeiro e as caçambas ainda estavam pegando fogo. Infelizmente algum vândalo fez isso, e agora estamos pagando, foi prejudicial para a população ficar sem um local adequado para descartar lixo durante tanto tempo porque já estamos há três meses sem lixeiras. Essa semana ainda havia pouco lixo, mesmo assim dá pra ver o transtorno que tem causado – informou.

O autônomo se preocupa também com o acúmulo de lixo na área que influência no aumento de ratos e baratos nos arredores. Além disso, parte desse lixo acaba caindo dentro do Rio Piabanha, colaborando nas formações de alagamentos em lugares como a Avenida Barão do Rio Branco e Corrêas.

As três caçambas já não davam conta, porque aqui residem muitas famílias. Mesmo tendo coletas durante a semana, sempre uma boa parte fica no chão. Os cachorros que ficam por ali rasgam as sacolas e espalham o lixo pelo chão. O pior é que boa parte desse lixo acaba caindo dentro do rio e contribui para os alagamentos – contou.


Com o acúmulo de sujeira, moradores da área aproveitam para realizar despejos de entulhos e restos de materiais de obras e eletrodomésticos no local. Aumentando os transtornos e dificultando a passagem para os pedestres no local.

Como ali tem muitas sacolas de lixo e vendo que não são recolhidas totalmente, as pessoas aproveitam e despejam entulhos. Só que somente está sendo coletado o lixo comum, enquanto isso, os dias passam e os entulhos permanecem – disse.

Cabe ressaltar que o despejo de restos de obras, mato, móveis e eletrodomésticos e de lixo sobre ruas e calçadas é proibido pelo Código de Posturas do município. A destinação correta é levar o material para o aterro de Pedro do Rio. Quem for flagrado cometendo a irregularidade é intimado a fazer a remoção imediata e recebe multa de R$ 800. A população pode ajudar a coibir o descarte irregular de entulho denunciando os casos para a Fiscalização de Posturas pelo telefone 2246-9042.



Tentamos contato com a COMDEP, mas não obtivemos resposta até p fechamento desta matéria.

Matéria: Diário de Petrópolis
Edição: Roberto Loureiro

Anúncios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.