O prefeito de Petrópolis Bernardo Rossi tem seu mandato contestado por fraude e abuso de poder econômico.

O prefeito de Petrópolis Bernardo Rossi tem seu mandato contestado por fraude e abuso de poder econômico.

Depois de ter seu nome citado em lista da Lava Jato por indicar nomes

para cargos públicos em esquema de corrupção.

Prefeito Bernardo Rossi está na mira do Ministério Público

plani 480x217 - URGENTE - Lava Jato no RJ pede a Raquel Dodge reforço para investigar deputados Uma das páginas da planilha encontrada na casa do deputado preso Edson Albertassi
Uma das páginas da planilha encontrada na casa do deputado preso Edson Albertassi

Baixe a planilha completa aqui




Matéria de 20 de dezembro de 2017

O prefeito Bernardo Rossi (PMDB) de Petrópolis, é um dos citados em uma lista da Lava Jato por indicar nomes para cargos públicos atendendo ao esquema de corrupção do Governo do Rio. A planilha foi apreendida pela força-tarefa da Lava Jato, na casa do deputado Edson Albertassi (PMDB). O documento também cita o deputado estadual de Petrópolis, Marcus Vinícius (PTB).


Segundo a lista, o Prefeito Bernardo Rossi indicou três cargos, sendo dois em Petrópolis e um em Cordeiro, durante o mandato como deputado estadual.

Em nota, a assessoria de imprensa da Prefeitura de Petrópolis, informou que o prefeito não fez indicações para cargos.

O Ministério Público já apresentou parecer pela cassação de Bernardo Rossi
O Ministério Público já apresentou parecer pela cassação de Bernardo Rossi



Agora é a vez da Justiça Eleitoral, depois que foi aberta a temporada de caça aos prefeitos “supostamente” até o momento ‘enrolados’, já caíram 94 Prefeitos eleitos em 2016, e a mira agora está voltada para o município de Petrópolis.

O Prefeito Bernardo Rossi está na corda bamba, sendo assim Petrópolis pode ser mais um município que precisará ter eleições suplementares.

Segundo a coluna do Jornal O Estadão a presença do Prefeito Bernardo Rossi no cargo, pode estar com os dias contados. VEJA A MATÉRIA

A Justiça Eleitoral está contestando o mandato do prefeito utilizando o argumento de “fraude e abuso de poder econômico”.




Sendo que o  Ministério Público já apresentou parecer pela cassação e o relator, ministro Jorge Mussi, deve submeter em breve o caso ao plenário do TSE.

Aguardemos os próximos capítulos e as novidades que vem por aí para o município de Petrópolis

Anúncios

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.