Petistas elegem ministra Cármen Lúcia como alvo

Petistas elegem ministra Cármen Lúcia como alvo

Estratégia é pressioná-la para que inclua já na pauta do tribunal a Ação Declaratória de Constitucionalidade que questiona se um réu pode ser preso antes de esgotados todos os recursos disponíveis

Petistas elegem ministra Cármen Lúcia como alvo
Petistas elegem ministra Cármen Lúcia como alvo

Reunidos no Instituto Lula, petistas e representantes de movimentos de esquerda elegeram a ministra Cármen Lúcia como alvo na tentativa de obter uma vitória no STF (Supremo Tribunal Federal) para deter a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.




A estratégia é pressioná-la para que inclua já na pauta do tribunal a ADC (Ação Declaratória de Constitucionalidade) que questiona se um réu pode ser preso antes de esgotados todos os recursos disponíveis.

A intenção é que a corte decida-se contra a prisão em segunda instância antes que o juiz Sergio Moro determine sua detenção.


O líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta (RS), foi porta-voz dessa estratégia ao afirmar que a ministra promove por opção pessoal uma instabilidade institucional.

Consideramos isso uma perseguição política. O uso de um cargo para obter um objetivo que não é republicano”.

O presidente do PT de São Paulo, Luiz Marinho, afirmou que o sorriso escrachado de Cármen Lúcia durante o voto da ministra Rosa Weber denunciou suas intenções.

Marinho também criticou o julgamento e a presidente do Supremo, que acusou de ter feito uma grande manobra.

Segundo ele, nesta sexta-feira (6), às 18h, no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo, haverá um ato com a presença de Lula.



O dirigente afirmou que a ideia é fazer um protesto e vigília permanentes no local, para que militantes possam prestar solidariedade ao ex-presidente e chamar à responsabilidade Cármen Lúcia.

Além da pressão sobre o Supremo, também fixaram como estratégica a reafirmação da candidatura de Lula.

Fonte: FolhaPress

Anúncios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.