Polícia do RJ procura pai que aparece em vídeo tentando estuprar a filha

Polícia do RJ procura pai que aparece em vídeo tentando estuprar a filha

Segundo relatório da investigação, estupros aconteciam desde que menina tinha 10 anos.

Homem não é visto desde o dia 4 de outubro

Polícia do RJ procura pai que aparece em vídeo tentando estuprar a filha
Polícia do RJ procura pai que aparece em vídeo tentando estuprar a filha

A identidade do suspeito e a fotografia NÃO FORAM REVELADOS PELA POLÍCIA.

A Delegacia de Criança e Adolescente Vítima (Dcav) tenta prender desde 4 de outubro um homem suspeito de estuprar a filha desde que ela era criança, na Baixada Fluminense. Hoje com 16, ela conseguiu parar com os abusos depois de ter mostrado que havia gravado um vídeo mostrando uma das tentativas de estupro.

O vídeo já está com a polícia. Segundo investigações da Dcav, a vítima relatou em exame de corpo delito que foi estuprada pela primeira vez pelo pai aos 10 anos de idade. O exame revelou que a jovem não era mais virgem e que foi forçada a ter seis relações sexuais com o pai, sem preservativo. “Mandava transar direito, fazia ameaças, dizendo que ia matá-la”, diz o documento.



A polícia pediu a expedição do mandado de prisão temporária no dia 28 de setembro, depois de assistir ao vídeo e devido aos relatos da jovem. O mandado foi deferido pela justiça. O caso está em fase de inquérito e o autor ainda não foi denunciado à Justiça. No entanto, no dia 5 de outubro, a polícia procurou o homem no seu local de trabalho, e ele não foi encontrado desde então.


“O mais importante, além do cumprimento desse mandado de prisão, é que ele responda pelos crimes sexuais, e que ele dê a sua versão dos fatos. Nesse momento, quanto mais vítimas forem identificadas, mais medidas protetivas podem ser concedidas e novos inquéritos podem ser feitos. O padrão desse comportamento são ações reiteradas”, afirmou a delegada Juliana Emerique, titular da Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (Dcav).

Anúncios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.