Polo de Tecnologia em Petrópolis tem 480 empresas e fatura R$ 355 milhões por ano

Polo de Tecnologia em Petrópolis tem 480 empresas e fatura R$ 355 milhões por ano

Serratec, o maior Parque Tecnológico do interior do estado

Polo de Tecnologia em Petrópolis tem 480 empresas e fatura R$ 355 milhões por ano
Polo de Tecnologia em Petrópolis tem 480 empresas e fatura R$ 355 milhões por ano

Serratec – Quanto tempo você demora para fazer uma conta simples de soma ou subtração? Um segundo, talvez, para os mais rápidos?
Mas os tempos da tabuada mudaram e agora a tecnologia é capaz de fazer com que 1,1 trilhão de operações sejam feitas no mesmo “um segundo”.
Essa é a capacidade do supercomputador Santos Dumont, instalado em Petrópolis, que é o maior da América Latina. Ele é só um dos tantos motivos que faz com que a Cidade Imperial – tão marcada pelo passado do imperador D. Pedro II, um visionário da tecnologia – seja referência no setor na Cidade Imperial que tem 480 empresas e fatura R$ 355 milhões por ano.




Este potencial está agora associado à Teresópolis e Nova Friburgo que, com a Cidade Imperial formam o Serratec, o maior Parque Tecnológico do interior do estado e estão impulsionando novos negócios. Um dos exemplos é a New Group Telecom, de Teresópolis, que vai abrir até junho não apenas um, mas três escritórios em Petrópolis projetando atender 30 mil clientes em dois anos.

Na Cidade Imperial já estão empresas de referência internacional, modernos laboratórios e centros de pesquisa. Abriga ainda o Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia (LNCC) – onde está o supercomputador, conta com polos tecnológicos, além de formar 60 estudantes por ano nos cursos voltados para Tecnologia da Informação e Comunicação, sendo duas instituições voltadas especificamente para o setor: Cefet e Faeterj.


“Petrópolis tem várias vocações, e a Tecnologia é uma delas. Nossa meta é que o município seja incluído no mapa das cidades inteligentes e, por isso, a prefeitura vem trabalhando em ações como um projeto de modernização da gestão e a elaboração da Lei Municipal de Inovação”, destaca Bernardo Rossi.

No total, as empresas do Serratec contam com um faturamento anual de mais de R$ 585 milhões. Só Petrópolis tem registradas 480 empresas do setor, incluindo lojas de venda de produtos de informática, sendo cerca de 100 delas ligadas diretamente à serviços de tecnologia. O setor na cidade fatura R$ 355 milhões anuais e emprega mais de mil pessoas.

Segundo o vice-presidente do Conselho Gestor do Serratec e um dos fundadores da empresa Info4, Alexandre Macedo, esta é uma evolução do ramo na cidade. “A ideia do Serratec é unir forças com um objetivo em comum: o de fortalecer o setor de tecnologia na região. Temos nas três cidades importantes empresas do ramo e, juntas, com certeza elas terão mais força. A iniciativa fortalece o setor e ajuda a atrair investimentos e captar recursos para o Parque Tecnológico da Região”, explica ele.

O setor vem se fortalecendo na cidade a cada ano. Para o diretor do LNCC, Augusto Gadelha, essa união entre os empresários é fundamental para atrair novas empresas para Petrópolis e consolidar as que estão instaladas aqui. “Esse movimento já vem sendo feito ao longo dos anos. E a iniciativa do Serratec é muito bem-vinda, firmando essa identidade regional e fortalecendo a sinergia entre as empresas. É preciso esse trabalho em conjunto entre as empresas, instituições de pesquisa, ensino e inovação, e poder público para um ecossistema adequado de inovação”, avalia.



O LNCC abriga o supercomputador Santos Dumont. Ele é utilizado por pesquisadores de áreas como energia, engenharia, química, meio ambiente, meteorologia, banco e mineração de dados, ciências biológicas e nanotecnologia. A máquina pode ser usada para pesquisas que envolvam uma quantidade grande de cálculos numéricos e análise de dados. Ele é útil até para pesquisas sobre novas vacinas, como a do vírus da Zika.

Empresas escolhem Petrópolis para se instalar

Petrópolis é celeiro de projetos de tecnologia e inovação e a cidade vem sendo escolhida ao longo dos anos para abrigar novas sedes de empresas de tecnologia. Uma das mais recentes é a New Group Telecom. Criada em Teresópolis, os empresários Marcos Racke e Leandro Siqueira pretendem fazer da companhia a melhor empresa de Telecom do país. Agora, uma sede está sendo montada na Cidade Imperial, que foi escolhida também para o lançamento de um produto novo, moderno e tecnológico, que engloba uma conexão de até 1GB, telefone e TV por assinatura – com um atendimento exclusivo que projeta a rede ideal para a casa.

Segundo Marcos, o produto ainda está sendo formatado, mas a ideia é que Petrópolis seja a primeira cidade do país a receber a novidade ainda esse ano: “É um projeto inovador, que vai trazer mais conforto, modernidade e uma alta capacidade de conexão para os nossos clientes. Vai ser uma experiência única, que não existe em nenhum outro lugar do país. Estamos muito felizes em figurar entre as novas empresas da cidade e temos certeza que vai ser só o começo de uma longa caminhada de muito sucesso”, explica.

Petrópolis está criando a Lei da Inovação do Estado do Rio

Petrópolis está criando a minuta para a primeira Lei da Inovação do Estado do Rio de Janeiro. Entre os objetivos da lei estão a adoção e incorporação de soluções inovadoras pela Prefeitura; apoio à cultura empreendedora de ciência, tecnologia e inovação nas escolas; e o Plano de Sustentabilidade da Prefeitura, levando em consideração os incentivos que serão direcionados às empresas. Além de parcerias entre a administração pública com instituições públicas, estaduais e federais visando o compartilhamento de laboratórios e centros de pesquisas e a criação de Prêmio Municipal de Inovação para inventores, instituições e empresas de inovação instaladas no município.

“A minuta está bem avançada. Estamos trabalhando em conjunto com os empresários do setor e já tivemos três reuniões para discutir o assunto. Ações como essa tornam a cidade ainda mais atrativa para a área. A lei inclui ainda simplificação de processos de legalização de infraestrutura de empresas e instituições atuantes em inovação”, explica Marcelo Fiorini, secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda.




“A lei não é nossa única ação. Através do nosso observatório social, a prefeitura também já está mapeando as empresas consideradas de tecnologia para entender o segmento de cada uma delas e fazer uma análise profunda do setor. Vamos convidá-los este ano a participarem, a cada dois meses, de uma sessão de negócios. Cada encontro terá um setor diferente da economia da cidade. Estamos trabalhando em ações que atraiam novas empresas para a cidade, mas que, principalmente, contemplem as companhias que já estão instaladas aqui”, frisa Marcelo Simões, diretor do Departamento de Políticas Públicas de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Desenvolvimento Econômico.

Outro avanço no município é o projeto de modernização da gestão, destacando ações que incentivam a desburocratização dos serviços, como no caso da emissão dos alvarás on-line. Hoje, o empresário, não só desse setor, encontra no Espaço Empreendedor da prefeitura serviços centralizados de várias secretarias. Ao solicitar um alvará on-line, o empresário consegue ter a resposta, na maioria dos casos, em até 72 horas.

Anúncios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.