Prefeito e Secretário dão bolo em audiência importante

Prefeito e Secretário dão bolo em audiência importante

Mas uma vez a porta da prefeitura fechada em resposta a população

Vereador Professor Leandro Azevedo e Vereadora Gilda Beatriz foram os únicos do governo a comparecerem e apoiarem o movimento

Terça-feira passada dia 28/11 o prefeito Bernardo Rossi e o secretário da educação Anderson Juliano, deixaram a desejar mais uma vez faltando a uma audiência que estava marcada aproximadamente a um mês, mostrando assim todo seu descaso para com a população e com os movimentos que lutam por melhorias para o município.


Do governo houve a presença do vereador Professor Leandro Azevedo e da vereadora Gilda Beatriz, que mostraram sua insatisfação com a falta de comprometimento do poder executivo, com uma causa tão importante para o município e principalmente para os alunos de Petrópolis.

Leia a nota do movimento #MinhaEscolaFica .


MINHA ESCOLA FICA

Cidadã e cidadão,

a Educação pública de Petrópolis pede socorro e precisa da sua ajuda!

O prefeito Bernardo Rossi decidiu fechar escolas ou, em alguns casos,

encerrar a oferta do segundo segmento do ensino fundamental,

e transferir compulsoriamente centenas de crianças e jovens para escolas

mais distantes de suas residências.

A consequência mais imediata é a evasão de muitas destas crianças e jovens

que podem abandonar os estudos já no início do ano que vem

com a maior distância de suas novas escolas, muitas delas em bairros distantes.

O acesso à Educação é desigual em nossa cidade.



Uma escola em cada bairro é a esperança de muitas famílias!

Os moradores da Posse até o Meio da Serra, do Caxambu ao Valparaíso,

de Santa Rosa ao Indaiá, do Rocio até a Mosela, do Brejal ao Centro,

todos precisam de mais escolas e creches, nunca menos.

A solução para a cidade não pode ser fechar escolas.

Não aceitaremos que o prefeito faça economia com a educação de nossos filhos e filhas.

Merecemos escolas e creches em nossos locais de moradia, para termos dignidade e esperança no futuro!

Exigimos o diálogo entre as famílias das comunidades,

as diretoras e professores das escolas, o prefeito, o secretário de Educação

e o Ministério Público a fim de evitar a tragédia que seria a evasão

dos estudos de centenas de crianças e jovens petropolitanos nas nossas comunidades.

Só há vitória, se há união e luta! Minha escola fica, nossas escolas ficam!

 

 

Anúncios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.