Aumentam denúncias contra falsos fiscais da Vigilância Sanitária no Rio – Notícias – A Voz de Petrópolis – Notícias sem censura


Aumentam denúncias contra falsos fiscais da Vigilância Sanitária no Rio – Notícias – A Voz de Petrópolis – Notícias sem censura

Aumentam denúncias contra falsos fiscais da Vigilância Sanitária no Rio – Notícias



A Vigilância Sanitária começou a divulgar nesta terça-feira (25) a campanha “O fiscal tem sua legitimidade. Reconheça. Colabore”, com o objetivo de combater golpes de estelionatários em estabelecimentos comerciais. Com peças gráficas e virtuais, a ação divulga para os cariocas o site com fotos de todos os servidores que trabalham nas ruas.

A Prefeitura do Rio de Janeiro alertou para o aumento de denúncias contra suspeitos que tentam se passar por fiscais para extorquir dinheiro de comerciantes. Os estelionatários agem durante fiscalizações mais intensas nos estabelecimentos, devido à proibição de canudos plásticos.

De acordo com a prefeitura, as abordagens dos falsos fiscais ocorrem geralmente por telefone, com ameaças de aplicação de penalidades, como interdição e altos valores de multas, caso o comerciante não deposite algum valor de propina. Além disso, eles utilizam fotos e nomes de fiscais verdadeiros em aplicativos de mensagem, onde deixam números de contas bancárias para depósito.

Os falsários costumam ligar para estabelecimentos que comercializam produtos e serviços relacionados à saúde humana e animal, como clínicas e pet shops, além de bares e restaurantes.

A Vigilância Sanitária informou que os verdadeiros fiscais não fazem abordagens por telefone, já que há um procedimento padrão para a fiscalização em que comparecem pessoalmente ao estabelecimento. Os agentes também estão sempre usando coletes com nome e matrícula bordados, ordem de serviço numerada com o nome do estabelecimento, crachá com identificação e QR Code e Termo de Visita Sanitária, numerado e com marca d’água.

A Vigilância Sanitária orienta que irregularidades percebidas durante as inspeções sejam comunicada à central de atendimento 1746. A denúncia pode ser anônima.





Fonte





%d blogueiros gostam disto: