CRAS Quitandinha aumenta em 50% o número de atendimento por mês

CRAS Quitandinha aumenta em 50% o número de atendimento por mês

7 grupos de convivência oferecem palestras, cursos e rodas de conversa

Centros de Referência de Assistência Social funciona de segunda a sexta-feira de 8 às 17h

cras 1 - CRAS Quitandinha aumenta em 50% o número de atendimento por mês
CRAS Quitandinha aumenta em 50% o número de atendimento por mês

“Eu vim para distrair a minha cabeça e acabei descobrindo muitas habilidades que eu nunca imaginei que tivesse. Hoje eu faço os artesanatos que aprendo nas oficinas para vender e acabo conseguindo mais uma renda por mês. Eu só tenho que agradecer a equipe do CRAS, esses encontros semanais é uma maravilha na minha vida”, afirma a aposentada Edneusa Maria de Souza, 63 anos, que frequenta desde janeiro, o Centro de Referência de Assistência Social no Quitandinha.


Com atendimentos pedagógicos, psicológicos e assistenciais, a unidade teve as ações fortalecidas pela prefeitura estimulando o ingresso aos grupos de convivência. Os sete grupos existentes concentram 80 participantes entre crianças, adolescentes, idosos e um exclusivo para mulheres. Oferecendo uma programação vasta com oficinas, palestras e pequenos cursos aos cadastrados em programas sociais, a prefeitura ampliou o número de atendimentos de 200 mensais em 2016 para 300 neste ano – de janeiro a novembro.

 “Muitas pessoas procuram o CRAS apenas para fazer o cadastro único para ter o bolsa família ou outro benefício social. Mas o CRAS não é apenas um local de inscrição, a proposta é trazer essas famílias para dentro do equipamento e acompanha-las com atendimentos pedagógicos, psicológicos e assistenciais”, esclarece Denise Quintella.

A pedagoga da unidade Janaína Borges explica que logo no primeiro atendimento no CRAS a assistente social já realiza uma entrevista para identificar possíveis acompanhamentos para a pessoa e familiares.


“Tivemos uma procura grande com a TV Digital, então nesse processo nós já orientamos os idosos quanto a carteira do idoso e BPC, os mais jovens quanto ao ID Jovem, bolsa família, entre outros. Estamos conseguindo ampliar a procura pelo CRAS. Temos a preocupação dentro do nosso grupo de oferecer atividades que eles gostem. No grupo do artesanato nós mesmas imprimimos os moldes na internet e, para nós, é uma felicidade ver que as mulheres estão utilizando o que aprenderam aqui para ter uma renda extra”, avalia Janaína Borges.

Projeto de horta comunitária é um sucesso entre as crianças

A Secretaria de Assistência Social iniciou neste ano um projeto de fortalecimento de vínculos familiares e de convivência comunitária no CRAS do Quitandinha. Dentro de um projeto Infantojuvenil foi criada uma horta na unidade e o projeto já reúne 80 crianças e adolescentes do bairro. A expectativa é que através do plantio, as crianças criem novos hábitos alimentares e aprendam sobre a importância de compartilhar e do trabalho em equipe.

“No Quitandinha foi identificado a importância de se trabalhar as crianças. Nós já estamos com um grupo formado por 80 crianças e adolescentes, de 7 a 12 anos, que estão envolvidos no projeto, mas além disso, eles se reúnem semanalmente para debates, palestras e ações em grupos. Estamos fortalecendo também o grupo de mulheres e de idosos na comunidade para que possamos ser um ponto de referência assistencial na comunidade”, afirma Denise Quintella.



A pedagoga da unidade, Janaina Borges, afirma que além do plantio e cuidados com as hortaliças, as crianças também recebem orientações de uma nutricionista sobre o consumo e alimentação saudável.

“Os canteiros foram preparados por um usuário do NIS – Núcleo de Integração Social e as mudinhas de hortaliças e temperos foram doadas por uma empresa em parceria. No total são 70 mudas dentre elas couve, alface crespa, salsinha, manjericão e hortelã. A horta está sendo cuidada pelas próprias crianças do serviço de convivência e pelos funcionários do CRAS, nosso sonho é que o projeto cresça e envolva toda comunidade”, disse.