Salários dos servidores serão pagos dia 28 de dezembro

Salários dos servidores serão pagos dia 28 de dezembro

13º salário: R$ 4,3 milhões depositados para os servidores nesta quarta

Salários dos servidores serão pagos dia 28 de dezembro
Salários dos servidores serão pagos dia 28 de dezembro

Nota divulgada pela assessoria do Prefeito

Com um esforço financeiro e uma política austera de contingenciamento de gastos, a prefeitura deposita nesta quarta-feira (20.12) R$ 4,3 milhões nas contas dos seus 12 mil servidores, aposentados e pensionistas. O valor corresponde a mais uma parcela de 12,5% do 13º salário deste ano e soma-se a outros R$ 13 milhões já depositados –  R$ 4,3 milhões (12,5%) no dia 30 de novembro e R$ 8,3 milhões (25%) antecipados aos servidores em julho. A Secretaria de Fazenda trabalha ainda para depositar no último dia útil do mês os salários de dezembro dos servidores públicos. O prefeito Bernardo Rossi lembra que 22 cidades fluminenses estão com as folhas de pagamento atrasadas e que esta semana a prefeitura do Rio, por exemplo, alterou o calendário de pagamento dos servidores, que passarão a receber somente no 7º dia útil do mês.



 “O 13º salário de 2016 foi arrestado pela Justiça e tivemos de pagar esta conta em 2017. E o compromisso era não deixar que o salário dos servidores atrasasse sequer um dia. Cumprimos ao longo do ano e a expectativa é de quitar os 50% do abono de final de ano até o dia 25 de janeiro. Os salários de dezembro serão depositados no dia 28”, anuncia o prefeito Bernardo Rossi.

O desafio da atual gestão tem sido equacionar as contas, uma vez que o atual governo está arcando em 2017 com 14 folhas de pagamento, considerando que a atual gestão precisou quitar salários de dezembro de 2016 de funcionários do Hospital Alcides Carneiro, que deixaram de ser quitados à época e ainda que o atual governo precisou repor valores referentes a arrestos judiciais para pagamento de 13º do ano passado – R$ 16,8 milhões que foram retirados de áreas importantes, como a compra de merenda escolar.  A folha de pagamento da prefeitura alcança em 2017, R$ 490 milhões, considerando o 13º salário desde ano e ainda o 13º atrasado do ano passado.

“Enfrentamos um ano muito difícil. A economia nacional não vai bem e em Petrópolis a situação é agravada pelo montante de R$ 766 milhões em dívidas acumuladas pelas gestões anteriores. O parcelamento de parte destas dívidas consome R$ 8,5 milhões por mês – um impacto de R$ 102 milhões por ano nas contas. Todos os esforços estão sendo feitos para mantermos em dia o pagamento dos servidores, o que é uma prioridade para o prefeito Bernardo Rossi”, afirma o secretário de Fazenda Heitor Maciel Pereira.

Além de repor o valor dos arrestos judiciais, a atual gestão quitou R$ 3,9 milhões em parcelas de empréstimos consignados e faturas no cartão Sisep– valores que no governo passado foram descontados nos contracheques dos servidores, mas não foram repassados aos bancos e ao Sindicato, o que impediu, por exemplo, que servidores tivessem acesso a linhas de crédito bancários e em casos mais graves levou servidores a terem os nomes incluídos em cadastros de restrição ao crédito (SPC e Serasa).


No dia 5 de outubro o prefeito Bernardo Rossi anunciou um pacote de austeridade que cortou entre 40% e 10% os salários do prefeito, vice prefeito, secretários e cargos comissionados. O pagamento dos comissionados também passou a ser feito no quinto dia útil. Paralelo a isso uma reforma administrativa foi implementada, cortando 278 cargos no início do ano.

Em dívidas de administrações passadas, a prefeitura quitou à vista R$ 28 milhões.  Deste montante eram de salários e 13° salário do Hospital Alcides Carneiro de 2016, valor de R$ 3,6 milhões e mais R$ 3,9 milhões de empréstimos consignados dos servidores descontados dos funcionários e que deixaram de ser repassados aos bancos.

Mais R$ 258 milhões em dívidas foram parceladas –  uma despesa mensal de R$ 8 milhões, só em pagamento de dívidas – entre os quais R$ 25,4 milhões referentes a serviços prestados pelos Hospitais Santa Teresa e Clínico de Corrêas, Centro de Tratamento Oncológico (CTO) e UPAs, além de fornecedores de remédio, exames, merenda e outros itens básicos. As despesas do município este ano, chegam a R$ 954 milhões contra uma arrecadação de R$ 783 milhões.


“Nosso governo vem concentrando todos os esforços na redução de gastos – isto está sendo feito em todas as secretarias – para que possamos manter em dia o pagamento dos salários dos nossos servidores. Sabemos o valor que o trabalho de cada uma destas pessoas tem para o funcionamento da cidade e a importância disso para o cidadão petropolitano”, considera o prefeito

Texto: ASCOM Coordenadoria de Comunicação Social – Prefeitura de Petrópolis

Anúncios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.