Tiroteio em Petrópolis – Em cinco dias foram registrados seis trocas de tiros entre polícia e bandidos

Tiroteio em Petrópolis – Em cinco dias foram registrados seis trocas de tiros entre polícia e bandidos

Tiroteio na cidade está se tornando constante

Tiroteio em Petrópolis - Em cinco dias foram registrados seis trocas de tiros entre polícia e bandidos
Tiroteio em Petrópolis – Em cinco dias foram registrados seis trocas de tiros

Intensos tiroteios em comunidades já estão entrando para a rotina da população. Comandados por bandidos de fora da cidade, traficantes estão cada vez mais ousados e, desde o início deste ano, foram nove confrontos, seis deles registrados entre a madrugada de sábado (17) e tarde de quarta-feira (21).

Petropolitanos acreditam que a intervenção federal realizada no Estado esteja contribuindo para a migração de bandidos de favelas do Rio de Janeiro para Petrópolis, mas afirmam que essa movimentação já estava acontecendo há algum tempo. Esse é o caso do Atílio Maroti.

“Fizemos várias denúncias e a PM chegou a realizar algumas operações e prender traficantes, mas outros chegam para substituir. Agora, com essa repressão mais intensa, eles estão se deslocando pela mata entre o Atílio Marotti, Quarteirão Brasileiro e Mosela”, conta um morador do Atílio Marotti que, temendo por represálias, preferiu não se identificar.

Segundo o coronel André Vidal, comandante do 7º Comando de Policiamento de Área – CPA Serrana, o Exército ainda está “desenhando o panorama atual dos órgãos de segurança”. “Por isso, acredito que os confrontos estão sendo provocados por traficantes locais, não por consequência da intervenção”, explica Vidal, que tem participado de reuniões diárias no Quartel General da PM, no Rio de Janeiro.


O comandante do 26º Batalhão de Polícia Militar, coronel Oderlei dos Santos, destacou que as operações policiais continuarão sendo realizadas.

“A Polícia Militar continuará reprimindo com firmeza o tráfico de drogas; o Batalhão vai intensificar ainda mais a busca pelos criminosos que fizeram uso de armas de fogo; e o cidadão deve continuar denunciando situações práticas criminosas ou suspeitas, ligando para o 26ºBatalhão da PM através dos telefones 2242-8005, 2291-5071, 2291-4020, 9-9222-1489 (WhatsApp) e 190”, disse.

Na quarta-feira, na Comunidade dos Anjos, no Caxambu, em plena luz do dia, policiais militares tiveram novo confronto com bandidos. Agentes da Delegacia de Polícia Judiciária da PM – DPJM e do Patamo – Patrulhamento Tático Móvel comandado pelo sargento Mayrinck, do 26º BPM, estavam no local apurando a denuncia sobre a presença de oito homens armados na região.

Os policiais circularam por vários pontos da comunidade e quando entraram na mata por uma trilha que dá acesso ao bairro Morin, foram surpreendidos pelos disparos. Mais uma vez, o confronto foi intenso, mas ninguém se feriu. No local, foram apreendidos estojos de munições de pistolas 9mm usadas pelos bandidos.

Na noite anterior, nesse mesmo local, um jovem teve a mala do carro perfurada por tiros depois de furar um bloqueio feito por bandidos, mas conseguiu escapar. Na ocasião, policiais militares que atenderam a ocorrência, também foram recebidos a tiros, mas não puderam revidar para garantir a segurança dos moradores.

Desde o início do ano, a polícia registrou dois confrontos com traficantes no Independência e um na Comunidade do Neylor, São Sebastião (com dois suspeitos feridos), um no Atílio Marotti, dois no Quarteirão Brasileiro e outros dois no Caxambu.

Envolvido em tiroteio no Quarteirão Brasileiro é preso

Na tarde de ontem, policiais militares prenderam um criminoso envolvido nos confrontos da noite de segunda-feira (19) e na manhã de terça-feira (20), na Rua Max Manoel Molter, no Atílio Marotti. O outro traficante que disparou contra policiais já havia sido preso, após cair do telhado de uma residência, durante a operação policial.

Anúncios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.