‘Vazou’ partes dos processos que respondem Paulo Igor e o vereador Dudu

‘Vazou’ partes dos processos que respondem Paulo Igor e o vereador Dudu

A DELFAZ está aprofundando cada vez mais, compreendendo a maracutaia toda.

'Vazou' partes dos processos que respondem Paulo Igor e o vereador Dudu
‘Vazou’ partes dos processos que respondem Paulo Igor e o vereador Dudu

Na transcrição do Ministério Público das gravações com autorização da Justiça de conversas telefônicas entre os dois vereadores e alguns empresários acusados de envolvimento no esquema de corrupção. Em parte dos trechos da denúncia, Dudu fala sobre a dívida que tem com a empresa Elfe Soluções em Serviços Ltda vencedora da licitação conduzida por ele e por Paulo Igor.




Dudu comemora a vitória da Elfe Soluções em Serviços Ltda. e a necessidade de retribuir ao investimento feito pela empresa a suas campanhas eleitorais:

“Graças a Deus que boa parte dos dois milhões de Reais gastos em minha campanha vou poder devolver parte ao Júnior”,
festejou o vereador Dudu, ao telefone, após sair o resultado da concorrência pública.


A empresa Elfe venceu a licitação fraudulenta em dezembro de 2011, recebendo a quantia de R$ 4,49 milhões pela prestação de terceirização de serviços de limpeza, conservação, higienização, reprografia, vigia, jardinagem, copeiragem, recepção, telefonia, motorista, manutenção predial e operação de áudio e vídeo, além de fornecer todos os materiais de consumo, equipamentos e insumos necessários para as atividades dentro da Câmara Municipal pelo período de 12 meses, a partir de 1º de janeiro de 2012.



A pessoa denominada Júnior, pelo vereador Dudu, é Wilson da Costa Ritto Filho, administrador da Elfe.

O empresário também tem sociedade na empresa Hope Recursos Humanos Ltda. e foi 3º vice-presidente para Assuntos Gerais do Grupo Facility, que tinha como presidente Arthur Cesar de Menezes Soares Filho, conhecido como “Rei Arthur”, atualmente incluído na lista da Interpol como foragido internacional, tendo contra si mandado de prisão expedido pela Justiça Federal no processo da Lava-Jato.

Arthur Cesar de Menezes Soares Filho, conhecido como “Rei Arthur”
Arthur Cesar de Menezes Soares Filho, conhecido como “Rei Arthur”

Dudu foi eleito vereador em 2008 e, como suplente, na eleição de 2010, chegou a assumir por alguns meses uma vaga na Câmara dos Deputados.

Ainda segundo o Ministério Público, as doações do empresário Wilson da Costa, financiaram 91,23% da campanha para deputado federal e 91,77% para o cargo de vereador.

O Ministério Público informou que, durante o período da interceptação telefônica, Dudu utilizava uma linha registrada em nome de uma das empresas de Wilson.

Além disso, os procuradores também comprovaram “o vínculo associativo estável e permanente” entre o empresário e os dois vereadores, além de um assessor parlamentar de Paulo Igor, também denunciado pelo MPERJ, Bruno Pereira Macedo.




Em outra interceptação telefônica no dia 16 de novembro de 2011, dias antes da licitação, o vereador Paulo Igor convida o assessor e o empresário para um almoço. “Os dois têm que conversar um negócio lá com ele, mas de repente a gente chama ele lá no canto depois e se tiver alguma coisa pra falar.”

Na sequência, o assessor responde ao vereador: “Aí a gente conversa e de repente a gente resolve tudo…”.

O Ministério Público tem conhecimento que após a contratação da Elfe Soluções em Serviços Ltda. Paulo Igor, como presidente da Câmara, autorizou diversos empenhos e pagamentos a favor da empresa.

Os procuradores tem a certeza que, esta medida “foi em proveito próprio e alheio”, causando prejuízo aos cofres públicos de R$ 1.317.522,35. A denúncia do MP argumenta que houve sobrepreço de 25% no valor total da licitação.

Paulo Igor foi preso durante a Operação Caminho do Ouro e atualmente está na cadeia pública de Bangu.

No dia da prisão, os policiais encontraram R$ 155 mil em espécie e 10.300 mil dólares escondidos dentro da bomba hidráulica de uma banheira de hidromassagem.

Dinheiro escondido na banheira de hidromassagem.
Dinheiro escondido na banheira de hidromassagem.

Estas transcrições são apenas partes das centenas de informações gravadas e já transcritas contra os vereadores Paulo Igos e Dudu, quanto aos outros vereadores e pessoas ligadas a palácio amarelo que foram “convidadas” para uma conversa na (DELFAZ) Delegacia Fazendária do Rio de Janeiro, as investigações estão se aprofundando, e desmembrando as ligações “quem fazia e recebia , o que de quem e de que forma”, tem muita água para rolar nesse rio ainda.

 

 

Anúncios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.