Barão do Rio Branco
Barão do Rio Branco




Numa fria madrugada do nosso inverno um táxi dos poucos de tinham ousado permanecer no ponto da Bacia (atual Praça D. Pedro)foi levar um passageiro ao Quarteirão Brasileiro.

A Avenida Barão do Rio Branco, estava envolta toda ela, em pesada neblina e o frio, mesmo dentro do carro cortava.

O motorista, gélido e sonolento deixara o freguês em casa e, descendo o Quarteirão Brasileiro, pensava que o dia estava ganho e, portanto, o melhor a fazer seria ir para casa e dormir. E já sonhava com os cobertores, quando ao entra na Avenida Barão do Rio Branco novamente, um cidadão muito bem arrumado de fraque cinza, fez sinal para o táxi parar e pediu ao motorista que o levasse à casa do Barão do Rio Branco.

Como o novo destino não desvia do trajeto de sua cãs, o motorista abriu a porta do carro e o passageiro fazendo ranger as molas do veículo, tão pesado que era, sentou-se no banco traseiro.

Devagar tocou o carro em marcha lenta, pela rua acima. Ao chegar ao prédio de destino acendeu a luz, abriu a porta e esperou o passageiro sair, como o este se demorou muito a sair, o motorista se virou para trás e para seu espanto, não tinha ninguém no banco de trás.




Assustado, o homem saltou do veículo, olhou nervosamente em volta e correu ao portão do prédio.

Onde estaria o passageiro? Perguntava a si próprio atônito, parado no meio da rua.

E quando esta voltando para o carro para procurar o tal homem gordo trajando fraque, quando raciocinando melhor, estranhou, que tida sido mandado levar o passageiro para a Casa do Barão do Rio Branco, personalidade morta há tantos anos. E mais a fisionomia daquele homem era igual a  do Barão do Rio Branco!

Devia ser, então um espírito o estranho passageiro que tomara seu táxi!




Extremamente apavorado o motorista entrou no carro e em alta velocidade saiu daquele lugar. E até a época em que esta lenda foi publicada por Gabriel Kopke Froés, o motorista e arrepiava ao relembrar os momentos de terror, ao ver que o passageiro era o espírito do Barão do Rio Branco.

https://i0.wp.com/www.avozdepetropolis.com.br/wp-content/uploads/2017/11/Rio-Branco.gif?fit=600%2C370&ssl=1https://i0.wp.com/www.avozdepetropolis.com.br/wp-content/uploads/2017/11/Rio-Branco.gif?fit=150%2C93&ssl=1Marcia ChavesCidade#avozdepetropolis,a voz de petropolis,Brasil,cidade de petropolis,cidade do Rio,cultura,dia a dia de petropolis,espirito,informações,jornais,jornal de petropolis,lendas,matérias,minuto a minuto,noticias,noticias de petropolis,notícias urgentes,noticiasdepetropolis,passageiro,politica,prefeitura,rio branco,rio de janeiro,RJ,saber mais petropolis,saiba mais petropolis,tempo real,ultima hora,urgente,viajar(adsbygoogle = window.adsbygoogle || ).push({}); Assustado, o homem saltou do veículo, olhou nervosamente em volta e correu ao portão do prédio. Onde estaria o passageiro? Perguntava a si próprio atônito, parado no meio da rua. E quando esta voltando para o carro para procurar o tal homem...Noticias de Petrópolis em um só lugar, a verdade doa a quem doer.