A síndrome de Asperger é um estado do espectro autista, geralmente com maior adaptação funcional.

O que é Síndrome de Asperger?
O que é Síndrome de Asperger?

A síndrome de Asperger, descrita pelo médico austríaco Hans Asperger, ficou mundialmente conhecida no ano de 1994, quando foi incluída em um dos mais importantes materiais para a psiquiatria na descrição de nomes e características psicopatológicas, o chamado Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM).

Essa nomenclatura era utilizada até 2013, depois disso foi lançada uma nova edição do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-V), contendo algumas mudanças importantes, entre elas, alguns nomes e diagnósticos de doenças.

A Síndrome de Asperger, assim como o autismo, foi incorporada como Transtorno do Espectro do Autismo (TEA). Com essa nova definição, a síndrome passa a ser considerada uma forma mais leve de autismo.

A Síndrome de Asperger é um transtorno neurobiológico enquadrado dentro da categoria de transtornos globais do desenvolvimento.

Ainda não se sabe a exata causa do surgimento da doença, mas os cientistas acreditam que uma anormalidade no cérebro das crianças portadoras seja o motivo mais provável. Outras doenças como depressão e transtornos bipolares também podem estar associadas.

Os sintomas variam de acordo com o grau da doença e também de pessoa para pessoa. Entre as principais características, podemos destacar:

  • Problemas de interação;
  • Comportamentos excêntricos ou repetitivos;
  • Práticas e rituais incomuns, como se vestir obrigatoriamente em um uma ordem específica;
  • Dificuldades para se comunicar;
  • Falta de interesse ou interesse intenso em uma determinada atividade;
  • Problemas de coordenação;
  • Alguns pacientes apresentam um desempenho médio ou acima da média em testes de inteligência;
  • Emissão de sons irreconhecíveis durante algumas atividades;
  • Dificuldade para reconhecer o sentimento e as expressões de outra pessoa.



O tratamento, que consiste em sessões de psicoterapia, deve acontecer logo após o diagnóstico da doença, que geralmente é dado entre os 4 e 14 anos de idade, a minoria dos casos são descobertos na fase adulta.

Além disso, o terapeuta “pode” prescrever medicamentos antidepressivos, como Nortriptilina ou Sertralina, que ajudam a diminuir os sintomas da Síndrome de Asperger e facilita o tratamento.

A ajuda da família é extremamente importante para o desempenho da criança. Por isso, é preciso que esteja alinhado com a estratégia que o terapeuta está utilizando para moldar o comportamento da criança, para poder complementar o tratamento dentro de casa.




Como a doença foi classificada em outra categoria recentemente, não há números exatos sobre a quantidade de portadores, porém estima-se que uma a cada 250 crianças são diagnosticadas com a síndrome.

Fonte: Eu Sem Fronteiras
Por: Natália Nocelli

Compartilhar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.